Por que participar de grupos de gestantes e de mães?

por Karin Bally, psicóloga e doula da equipe Mãe do Corpo

Hoje em dia, graças as tecnologias modernas, temos acesso a uma quantidade inimaginável de informações em tempo real e podemos entrar em contato com amigos em um toque na tela. Apesar de todas essas facilidades de se comunicar, nenhuma delas parece substituir o círculo milenar de mulheres ajudando mulheres, de mulheres se apoiando e se fortalecendo umas com as outras, se conhecendo, se descobrindo e crescendo juntas. Toda mulher merece viver o momento da gestação e do puerpério cercada de afeto, carinho e apoio, para que ela possa se sentir cada vez mais segura e livre para se dedicar ao seu bebê da forma mais tranquila e prazerosa possível.

Nas redes sociais e grupos virtuais, sem ter acesso a comunicação corporal, os julgamentos que machucam são comuns, os feedbacks e comentários são, muitas vezes, descontextualizados e as falhas de comunicação e entendimento são freqüentes. Círculos de mães são compostos de mulheres que querem estar rodeadas de pessoas que as fortaleçam, que respeitem suas escolhas e seus desejos, que sejam capazes de ouví-las sem julgar, de entender a delicadeza da maternidade e seus desafios, e de pessoas com quem possa contar para trocar experiências e falar com liberdade dos prazeres e dos desafios dessa fase tão delicada e muitas vezes tão vulnerável da vida.

Essas mulheres podem ser mães experientes que desejam compartilhar e retribuir, ou não terem experiência alguma da maternidade. Mas todas tem em comum o desejo se fortalecer, se apoiar mutuamente e compartilhar experiências e informações sobre essa fase tão rica da vida. É essa diversidade que cria a beleza da dinâmica de grupo.

Deixe uma resposta